TEMA MÉDICOS

410 - É PARA LÁ QUE EU SEMPRE VOLTO

 

É para lá que eu sempre volto

Sempre!

Para a sala do consultório

É para lá que eu volto !

 

Por mais que ande,

viaje e conheça lugares

faustosos e impressionantes

é para lá que eu volto

sempre

 

 A salinha sabe

Sabe o Tempo dos homens

o rastro longo da roda

o abrir e fechar da porta

o ruído inalterável da roca

 

É ela que entabula conversa

com a solidão do mundo

no silencio de cada coração

que por ali atravessa

 

A salinha conhece

os sexos feridos

a intumescência dos mamilos

as bocas marcadas

as mãos gastas

A salinha conhece

as terras remexidas úmidas

a romaria dos filhos da rua

o segredo dos ventres

o desespero de cada sílabas nas preces

 

Por mais que eu ande

para lugares interessantes

é para lá que volto

sempre 

 

Salinha do consultório

Pequena triste feia

cuja janela dá para a multidão

que geme esbraveja

e espera a consulta

como quem espera

 a espada justa de Deus

 

Só ela tem guardada

as medidas exatas

de minha anatomia

e das minhas palavras 

 

A salinha do consultório

é minha metade imortal

O RESTO DE MIM É  também MISTÉRIO

NÃO ME PERGUNTE QUAL

 

ANTERIOR -- (poema) -- PRÓXIMO

MENU MÉDICOS 401-425